Brasil confirma favoritismo e faz 3×0 no Chile

A Seleção Brasileira entrou em campo nesta segunda no Estádio Elis Park, em Joanesburgo, como favorita diante do Chile, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Afinal, havia vencido o “freguês” nos cinco jogos disputados anteriormente.

Brasil entrou com Júlio César, Máicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Ramires, Daniel Alves e Kaká (Kléberson – aos 35 do 2º tempo); Robinho (Gilberto – aos 4o do 2º tempo) e Luís Fabiano (Nilmar – aos 30 do 2º tempo). Treinador: Dunga.

A partida começou muito travada no meio-campo. Aos poucos, a seleção brasileira passou a dominar e marcou o primeiro gol aos 34 minutos com Juan, de cabeça, subindo mais que todo mundo, na cobrança do escanteio de Máicon pela direita. Sete minutos antes, Lúcio foi travado na área e deu a impressão de pênalti para o Brasil não marcado pelo árbitro inglês Howard Webb.

O segundo gol não demorou, após uma perfeita tabela no ataque e o toque de Kaká para Luís Fabiano, aos 38 minutos.

Na etapa final, o argentino Bielsa, treinador chileno, tentou de todas as formas com alterações, mudar o panoraman da partida, porém em momento algum o Brasil teve sua vitória ameaçada.

Aos 14 minutos, o golpe de misericórdia com o gol de Robinho, numa jogada de Ramires, que fez uma belíssima atuação, substituindo a Felipe Melo. Pena que aos 26 minutos, Ramires recebeu o segundo cartão amarelo, que o impede de enfrentar a Holanda nas quartas-de-final.

 

Holanda

A adversária nas quartas de final é a Holanda, que jogou em Durban e derrotou a Eslováquia por 2×1.

Robben entrou pela primeira vez como titular, recuperado de contusão e marcou o primeiro aos 18 minutos, mostrando que está afim de aparecer na Copa.

Aos 39, Sneijder marcou mais um, o seu segundo gol no Mundial.

A Eslováquia ainda conseguiu fazer o seu golzinho, nos acréscimos, aos 48, com o esforçado Vittek, de pênalti, que chega ao quarto gol na competição.

Jogos da terça

Nesta terça acontecem as últimas partidas as oitavas com a definição entre Paraguai x Japão em Pretória, Espanha x Portugal na Cidade do Cabo.

Confrontos das quartas-de-final:

Uruguai x Gana
Holanda x Brasil
Alemanha x Argentina
Paraguai ou Japão x Espanha ou Portugal.

Por: Adamar Gomes

Uma ideia sobre “Brasil confirma favoritismo e faz 3×0 no Chile

  1. BRASIL e HOLANDA já se enfrentaram três vezes em Copas do Mundo.

    (1): Em 1974, a Holanda, de Cruyff, bateu o Brasil por 2 x 0 na fase semifinal. O grupo daquela fase era formado ainda por Argentina e Alemanha Oriental. A Seleção Brasileira, depois de bater a Alemanha Oriental (1 x 0) e a Argentina (2 x 1), foi para o último jogo precisando vencer para chegar à final, já que a Holanda tinha melhor saldo. Mas no dia 3 de julho de 74, no estádio Westfalenstadion, em Dortmund, a Holanda venceu por 2 x 0, com gols de Neeskens (50′) e Cruyff (65′).

    Zagalo, na época, disse que a Holanda (conhecida como “Laranja Mecânica” e “Carrossel”) era “tico-tico-no-fubá”, e comparou o time holandês com o América carioca dos anos 50. Afirmou que a Laranja ia “virar suco” e arrematou: “eles (holandeses) não têm tradição em Copas, e por isso não me preocupam. Estou pensando na final contra a Alemanha”. Resultado da provocação: Holanda 2 x 0.

    (2): Em 1994, as seleções voltaram a se enfrentar, justamente nas quartas-de-final. Na Copa realizada nos Estados Unidos, o Brasil venceu por 3 x 2, no dia 9 de julho. Depois de abrir 2 x 0, com gols de Romário (53′) e Bebeto (63′), a Seleção Brasileira cedeu o empate (Bergkamp 64′ e Winter 76′ marcaram os gols da Holanda). Porém, aos 36 minutos do segundo tempo Branco fez, de falta, o gol da vitória brasileira.

    (3): Em 1998, na semifinal, Brasil e Holanda empataram por 1 x 1, no estádio Velodrome, em Marselha, na Copa da França. Ronaldo, o Fenômeno, marcou o gol brasileiro no primeiro minuto do segundo tempo. O atacante Kluivert, a três minutos do final do jogo, empatou. Na prorrogação, houve empate em 0 x 0 e a partida foi decidida nos pênaltis, com vitória brasileira por 4 x 2.

    CURIOSIDADE: o Dunga, hoje técnico do Brasil, esteve nessas últimas duas partidas citadas: 1994 (EUA) e 1998 (França).

Os comentários estão fechados.