Empresário negocia o Minas Futebol Brasil

_DSC0936 (Small)O empresário Geraldo Magela negociou o Minas Futebol Brasil com o também empresário e jornalista Edson Eustáquio Ramos, o popular Paredão. O Minas, fundado em 12 de outubro de 2011, conseguiu uma ascensão meteórica, chegando em 2013 à conquista da vaga na divisão de elite do futebol mineiro, como vice-campeão do Módulo II (URT foi a campeã).

Geraldo Magela alegou falta de apoio e as precárias condições financeiras para realizar a negociação. Segundo o repórter Lucas Castilho, de Sete Lagoas, o valor da transação foi de R$ 1 milhão de reais. “Paredão” tem experiência na administração esportiva, como ex-presidente, diretor e conselheiro do Democrata de Sete Lagoas. Edson Eustáquio Ramos é, atualmente, vice-presidente do Ideal, equipe rival do Democrata e passa a comandar o Minas, que vai mudar de nome e cores.

O Minas Futebol Brasil passará a se chamar Minas Boca. As cores originais são vermelha, amarela e branca. Deve ser incorporado o azul.

Estrutura

O projeto do Minas Boca é a construção de um complexo esportivo, na zona rural de Sete Lagoas. O local abrigará um Centro de Treinamento com quatro campos oficiais, Hotel para concentração e um Estádio para cinco mil torcedores, devendo se chamar “Mangueirão”. A previsão é que esteja pronto até metade de 2014.

A partir de agora, a nova direção do Minas começa a direcionar seus projetos, para a disputa do campeonato mineiro do Módulo I de 2014.

Por: www.agesporte.com.br
Reportagem: Lucas Castilho (Sete Lagoas)
Foto: Arquivo Toninho Cury

3 ideias sobre “Empresário negocia o Minas Futebol Brasil

  1. Ôh. Renato, parceria com o Nacional seria fadada a falência rápida do Mamoré.
    O Nacional com Amarildo Testa de Ferro, Roger Galvão, Otamirinho, Taco, Paulo Cesar, ex-prefeito de Nova Serrana e o Zezé Perrela com 25% do comando do time iriam detonar o Mamoré com seu patrimônio e tudo. ……

  2. Isso deveria acontecer com URT e Mamoré, a exemplo do Boa Esportes, o Minas , não vai demorar muito vai passar a maioria dos times do interior mineiro, hoje para sobreviver do futebol do interior so com parcerias. O Mamoré pérdeu uma grande chance de crescer , quando não aceitou a parceria com o Nacional.

Os comentários estão fechados.