Fim de papo

est-bern-rubMamoré e Nacional encerram as tratativas. As conversações chegam ao fim, no que poderia ser a fusão, depois negociação e, finalmente, um contrato de cessão de direitos, entre os dois clubes.

Para a maioria dos torcedores do Sapo, um alívio. Agora o alvi-verde começa a planejar o seu futuro, como garantiu um dos diretores, Antonio Limírio de Araújo.

A ideia de solicitar licença à FMF para o E.C.Mamoré e de se colocar o nome Mamoré E.C. ou Mamoré F.C. no Nacional, com CNPJ e toda a documentação deste último, não foi ao encontro dos esmeraldinos, pelo menos da maioria. Toninho concorda com isso:

– “Não houve apoio irrestrito das bases, ou seja, dos torcedores e da sociedade, para que a parceria com o Nacional fosse realizada. A maioria quis o contrário. A opinião pública pesa muito. Agora o Mamoré começa a planejar a sua vida para mais uma etapa”, disse o dirigente.

Toninho não falou sobre movimentação no segundo semestre, mas garantiu que há necessidade de se começar um planejamento para o módulo II de 2014.

Abordou ainda uma possível negociação com uma Rede de Supermercados, para aproveitamento da área de Estacionamento do Estádio “Bernardo Rubinger”. É o que vai ser tratado nas próximas reuniões.

Por: Adamar Gomes
Foto: Toninho Cury

 

9 ideias sobre “Fim de papo

  1. Nil concordo plenamente com voce o desespero dos torcedores,diretore do mamore foi grande demais ao saber gue o trovao azul so dependia de suas proprias forcas para subir e gueriam a gualguer custo mudar ofoco ,dalhr dalhe urt campea.

  2. terminou a mentirada kkkkk se vcs acham que isto seria verdade isso era so uma maneira de colocar o mamore em alta, coisa palhaçadada e porque sao bobos kkkk sapo mucho

  3. Em resposta ao Sr. Franco, talvez se os gestores da equipe montarem um projeto bacana… podem ser contemplados com recursos da Lei de Incentivo ao Esporte e manter projeto de base em várias categorias. Como por exemplo vem acontecendo em Araxá há 3 anos.
    Jeito tem mais tem que trabalhar aí basta querer…
    O Araxá vendeu ano passado mais de 7 atletas… o time profissional caiu… mas o clube está com pensamento bacana e pode se firmar nos próximos anos…

  4. a diretoria do mamore tomou a decisao certa em nao fundir com o nacional,mas acho tambem que o mamore da muito espaco para a torcida independente estao querendo se entrometer tem hora eu sou torcedor do mamore mas tem hora que nao da para ficar escutando alguns chingamentos da torcida do mamore temos que parar com esse tao de quem ficar parado vai tomar ou ta ligado,temos no ano que vem ser mais proficional tanto a diretoria quanto a torcida tambem vamos incentivar o time, nesse ponto temos que parabenizar a independente mas e isso ai ,obrigado pela atencao de todos.
    fiquem com DEUS!!!

  5. O MAMONAL OU MACIOME, nasceu morto e já foi enterrado. Foi o melhor que a diretoria fez esse ano. Ufa!! Até que enfim safamos dessa, que alivio, agora continua o verdadeiro e único Mamoré.

  6. Saudações Esmeraldinas !

    Bom…. nada mais justo do que agradecer aos conselheiros, diretores e torcida Independente por optarem pela não fusão.

    A história se mantem de pé cada vez mais forte

    Avante Sapo !

  7. Era a favor desta fusão/parceria do Mamoré com o Nacional. Ao contrário da maioria, não acredito que isso manche e nem desrespeite a história e tradição do clube.

    O que vale é o nome “Mamoré”, não importa se é Esporte Clube, Futebol Clube, etc…, quando estiver impresso na tabela de jogo, Cruzeiro x Mamoré, Mamoré x Atletico, todos vão relacionar o nome “Mamoré” com o time que é tradicional, ninguém quer saber qual o CNPJ.

    Acho que as pessoas estão pensando somente em vaga da Primeira Divisão, sendo que essa era a menor das vantagens da parceria. O Mamoré teria a condição de manter equipes em todas as categorias de base, Junior, Juvenil e Infantil, disputando campeonato Mineiro e outras competições importantes. Sem dizer que poderia ter participação na venda de jogadores. Qual time do interior de Minas hoje tem condições de manter categorias de base o ano inteiro, para revelar jogadores?

    Quanto ao futebol profissional, acredito que o Mamoré perdeu a oportunidade de talvez sonhar em não apenas disputar o Campeonato Mineiro, mas formar um time capaz de chegar a uma Série D, C e quem sabe até B do Brasileiro em poucos anos.

    Para os que temiam o rompimento do acordo no futuro e o Mamoré ter que voltar a disputar a 3a divisão, digo que voltariamos muito mais fortes que hoje, pois teriamos parte em jogadores e uma boa quantia pela quebra do contrato.

    Bom, voltamos a realidade de 99% dos “clubes” do interior de Minas, tanto da primeira divisão quanto do Modulo 2, ou seja, formar um “time” para competir 3 ou 4 meses do ano, e pedir contribuição/esmolas aos empresários da cidade para contratar os “restos” dos times mais estruturados e torcer para que esses jogadores consigam jogar bem uma temporada.

Os comentários estão fechados.