Poços de Caldas F.C. abandona módulo II e encerra atividades

pocos_caldas_2Surpresa no módulo II do campeonato mineiro. O Poços de Caldas anunciou o encerramento de suas atividades. Decisão está contida em nota oficial de 22 de fevereiro de 2013, assinada pelo seu presidente Hamilton Lyola.

“Infelizmente, o sonho e as expectativas de fazer do ‘Vulcão’ um clube conhecido e reconhecido no cenário do futebol brasileiro está sendo interrompido por ausência de patrocinadores, parcerias e incentivos, não tendo a Associação, meios de sustentar o Clube, nem mesmo na disputa do módulo II do campeonato mineiro 2013”, diz a nota.

Diretoria lamenta decisão:

“É com grande pesar, que a diretoria do Poços de Caldas Futebol Clube, ‘Vulcão’, anuncia o completo encerramento das atividades do clube a partir desta data, em razão das dificuldades financeiras, não tendo como financiar a permanência do time na disputa do módulo II…”

Diante disso, a Federação Mineira de Futebol publicou nota oficial (21/13), referendando a desistência:

“É com muito pesar que comunicamos a desistência irrevogável e irretratável da agremiação Poços de Caldas em disputar o campeonato mineiro Chevrolet, módulo II. Desta forma, ficam canceladas todas as partidas em que conste a referida agremiação, como mandante ou visitante.”

Por: Adamar Gomes

5 ideias sobre “Poços de Caldas F.C. abandona módulo II e encerra atividades

  1. Times como Poços de Caldas, Betim (ex Ipatinga), Unitri, etc, são fazem a menor falta ao futebol, alias é até favor esses times desaparecem, eles são um verdadeiro cancer do futebol, e o Nacional é outro que tambem faz parte desta lista.

  2. Eu até acho que a FMF tem alguma culpa, mais pensar que Federação deve ajudar time de empresarios já é absurdo, esse Poços de Caldas é time de empresarios do futebol, gente que vive de sugar times tradicionais. E se a prefeitura de Patrocinio injeta dinheiro em um time profisional, tambem está errado, não é assim que se faz futebol profissional. Esse Nacional que apareceu aqui em Patos já está atrapalhando URT e Mamoré, é so ver o que a Prefeitura está pensando em fazer, tem uma verba de 500 mil para os clubes, e está pensando em dar 100 para URT, 100 para Mamoré e 300 mil para o Nacional, e esse Nacional é um time que tem dono, pior ainda o maior investidor é politico, deve ser por isso que a prefeitura está dando esse dinheiro, ou seja troca de favores.

  3. Ë surpreendente esse futebol mineiro! Poços de Caldas tem um comércio extremamente ativo. É uma cidade turística com população acima de 150.000 habitantes.Mesmo assim a cidade não se sensibilizou com a situação do time!Até pouco tempo,a Patrocinense enfrentava a mesma situação.
    Acabou sendo na última hora com interferência do Prefeito que mediou alguns patrocinadores! Penso que chegou a hora (se essa hora já não passou há tempos), de chamar a FMF para repensar calendários, custas de arbitragem,porcentagem de rendas dos jogos…etc..etc!A FMF cobra MUITO e não oferece NADA! Foi sempre assim! Dias virão em que o campeonato mineiro será engavetado ou então será disputado apenas por cruzeiro, atlético e américa!!

  4. LAMENTÁVEL, MAIS UM TIME DO INTERIOR DE MINAS “MORRE”, E A FMF NÃO ADOTA NENHUMA MEDIDA PRA AJUDAR AS EQUIPES, COMO A FEDERAÇÃO PAULISTA, A CARIOCA E A GAÚCHA FAZEM…. TOMARA QUE A MODA NÃO PEGUE!

  5. Na maioria das vezes times “inventados” por politicos, ou empresarios acabam assim, o Funorte ja se foi, o Itauna, o Unitri, etc. Não vai demorar este tambem será o fim do Nacional, esse que aportou aqui em Patos, esses times nascem para tentar destruir outros. O Funorte conseguiu acabar com o futebol de Montes Claros, o Unitri atrasou a vida do Uberlandia, O Poços queria acabar com a Caldense, e esse Nacional que ja atrapalhou a vida do Social, quando era de Coronel Fabriciano, com certeza irá atrapalhar URT e Mamoré.

Os comentários estão fechados.