Seleção Brasileira decepciona na estreia na Copa América

Brasil e Argentina decepcionaram na primeira rodada da Copa América. Os argentinos, jogando em casa, apenas empataram com a Bolívia em 1×1 no jogo de abertura, na última sexta (1º). Neste domingo (3) foi a vez da Seleção Brasileira “desafinar”, com um pífio 0x0 diante da Venezuela, em La Plata. O segundo tempo da equipe de Mano Menezes foi sofrível. Os próximos jogos serão contra o Paraguai no sábado e Equador na quarta seguinte.

A partida começou após o horário determinado por atraso da Venezuela nos vestiários e nem os hinos foram executados. A arbitragem de Raul Orosco, da Bolívia.

A Seleção Brasileira iniciou marcando no campo do adversário, com toques rápidos, tomando a iniciativa do jogo, mas finalizando mal. A Venezuela não levava perigo e concentrava suas forças na marcação, no mínimo com oito jogadores em seu campo. As jogadas mais agudas foram as de lançamento longo para a área, principalmente para Alexandre Pato, que foi flagrado em três oportunidades adiantado, no impedimento. O máximo que ele conseguiu foi acertar uma bola no travessão.

Muito se esperava do Brasil, que vencera todos os cinco confrontos diante da Venezuela nessa competição. Em 20 jogos no geral, a Venezuela trinfou apenas em 2008, na era Dunga. Mas retrospecto não ganha jogo, o que ficou provado no segundo tempo, com o futebol muito abaixo do que esperava do time  brasileiro, sem pode de decisão.

Mano Menezes realizou as três substituições possíveis. Fred entrou aos 19 em lugar de Robinho. Aos 30, Pato saiu para a entrada de Lucas e Elano substituiu a Ramires. Na realidade, Robinho, Pato e Ramires ficaram devendo, mas não foram os únicos. A lista pode ser engrossada por Neymar e o próprio Ganso, bons jogadores, mas que não fizeram a diferença nessa estreia.  Lucas Leiva se salvou no meio e a defesa não foi muito exigida. O goleiro Júlio César foi um expectador privilegiado.

O jogo não empolgou e a Seleção não contou com as bolas paradas, como escanteios e faltas nas proximidades da área inimiga, de onde poderiam surgir jogadas importantes.

O time: Júlio César, Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires (Elano) e Ganso; Robinho (Fred), Pato (Lucas) e Neymar.

A Seleção volta a campo no sábado, dia 9, contra o Paraguai. É hora de pensar em mudanças no meio e no ataque e, com certeza, elas serão anunciadas ao longo da semana por Mano Menezes, que quer, logicamente, evitar novos dissabores.

Por: Adamar Gomes