TJD manda realizar nova partida do Mamoré contra Poços

A Quarta Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportivo julgou o Processo 064/10 e mandou marcar novamente a partida entre Mamoré x Poços de Caldas. A nova data será determinada em Nota Oficial pelo Departamento Técnico da Federação Mineira de Futebol.

O Poços de Caldas F.C. não compareceu para o jogo do dia 13/3 no Estádio “Bernardo Rubinger”, alegando intoxicação alimentar em 13 de seus jogadores, que vieram a Patos de Minas.

O relatório do árbitro consta apenas o comparecimento do Mamoré e a espera de vinte minutos pelo adversário, que não se apresentou para a partida.

A diretoria do Poços reuniu atestados médicos e os apresentou como defesa, o que foi aceito pela Comissão Disciplinar. O Mamoré lamenta não ter participado do julgamento, impedido de apresentar contra-provas que poderiam, no entender dos dirigentes esmeraldinos, incriminar a equipe do Vulcão.

Surge novamente a dúvida. Quem é que pode enfrentar o Poços de Caldas na nova partida? Os jogadores suspensos por ocasião do jogo do dia 13, deverão ficar de fora? Lembrando que eles não atuaram na partida seguinte, que foi diante do Tricordiano. Como fica? Mamoré vai consultar à FMF.

JULGAMENTO DA URT

Até que enfim, a Terceira Comissão Disciplinar do TJD julgou ontem o processo 015/10, referente ao primeiro jogo da URT no Campeonato, contra o Poços no “Ronaldão”.

A Veterana foi absolvida, tendo provado que o zagueiro Marcelo Félber atuou de forma legal (4 votos contra 1).

JOGADORES

Os jogadores Hugo e Pires, o preparador de goleiros Maurício e o auxiliar técnico Pael não foram julgados nesta terça.

Do lado da URT, também foi adiado o julgamento do Processo em que estavam incursos os atletas Léo e Hugo.

CLÁSSICO

Com o adiamento do julgamento dos processos envolvendo os jogadores, todos eles ficam à disposição para o clássico URT x Mamoré, domingo, 15 horas, no “Zama Maciel”.

Por: Adamar Gomes
Foto: Toninho Cury

6 ideias sobre “TJD manda realizar nova partida do Mamoré contra Poços

  1. A regra não obriga o clube a se apresentar na hora do jogo e nem comunicar a falta, a regra o obriga a apresentar suas provas ao tribunal dentro de um determinado prazo. Isso é fato, o resto é choro.

  2. Caro Luis Afonso
    o Próprio Sandro Gaúcho disse em entrevista á rádio que o Mamoré não estava contestando os atestados médicos, e sim lamentavam o fato de a equipe nao ter procurado com antecedência para remarcação da partida, comunicando até mesmo á FMF

  3. Tambem acho que o Luis Afonso e o Ricardo estão cobertos de razão, mais pedir para “ALGUNS” da imprensa serem menos emocionais, é pedir muito. Acho a imprensa esportiva de Patos acima da media, mais como em toda profissão, ha os que pensam e agem com a emoção e não com a razão!

  4. Luis Afonso, concordo com vc. Essa situaçao poderia ter acontecido com qualquer time. Nao é normal, mas plenamente possivel. A imprensa precisa ser mais objetiva e nao emocional. Nao adianta torcer, é preciso analisar e informar.

  5. Acho que meu comentario cabe tambem neste topico.

    So quem é muito fanatico ou então que gosta de ficar em cima do muro, para não imaginar que esse jogo seria remarcado, o Poços tinha os atestados medicos que comprovavam que os jogadores não tinha condições de jogar, e ninguem em sã conciencia contesta um atestado medico.

Os comentários estão fechados.