CBF mexe nos títulos e Pelé vira hexa

Alterações radicais no ranking de títulos do Brasileirão com a chamada unificação das conquistas anunciada pela CBF nesta quarta, dia 22. É o reconhecimento da Taça Brasil, disputada de 1959 a 1968 e da Taça de Prata e Robertão, em 1967, 1968, 1969 e 1970,  como títulos equivalentes ao Brasileiro disputado a partir de 1971, que teve o Atlético Mineiro como campeão.

A Taça Brasil teve um total de 197 participantes, assim distribuídos: 1956: 16; 1960: 17; 1961:18; 1962: 18; 1963: 20; 1964: 22; 1965: 22; 1966: 22; 1967: 21 e 1968: 21.
O Roberto Gomes Pedrosa (Robertão)/Taça de Prata contou com 22 participantes: 15 em 1967 e 17 nos anos 68, 69 e 70.

Com a oficialização da CBF, a medida provoca mudanças importantes. O ranking sofre alterações e cria uma situação curiosa. Com os títulos da Taça Brasil e do Robertão de 1967, o Palmeiras fica com dois títulos num mesmo ano. Seis clubes se beneificiaram da: Santos (+ 6 títulos), Palmeiras (+4), Botafogo (+1), Cruzeiro (+1), Bahia (+1) e Fluminense (+1). Desta forma, Santos e Palmeiras ultrapassariam São Paulo como os maiores campeões brasileiros da história, com oito títulos cada um.

Clubes como o São Paulo falam em falta de coerência quando se compara uma conquista de Brasileiro por pontos corridos, com 38 partidas para cada equipe para se apurar o campeão, com competições de mata-mata, curtos e menos penosos para a conquista de um título. Foi assim na maioria das edições da Taça Brasil, que se apurava o campeão com poucas partidas e, também, na maioria das edições em que os times de Rio e São Paulo entravam diretamente na fase semifinal. O Santos, como exemplo, foi pentacampeão de 1961 a 1965 disputando um total de 24 partidas. Apenas uma a mais que o turno do Brasileirão de 2003, o primeiro da era dos pontos corridos, ainda com 24 participantes, com a conquista do Cruzeiro.

Na realidade, não podemos desmerecer qualquer que seja o título ou a conquista. Mas não podemos juntar competições completamente diferentes e dar a todas elas a mesma conotação. Há os que conquistaram o título do Brasileirão como há, também,  aqueles que conquistaram a Taça Brasil ou Taça de Prata ou Robertão. Cada competição tem as suas particularidades.

O anúncio oficial nesta quarta levou ao palco o Rei Pelé, que recebeu seis medalhas como o jogador que mais vezes (agora sim) conquistou o Campeonato Brasileiro. Viva o Rei!

COMO FICA A LISTA DOS CAMPEÕES

1º Palmeiras – 8
(1960, 1967, 1967*, 1969, 1972, 1973, 1993 e 1994)

1º Santos – 8
(1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968*, 2002 e 2004)

3º São Paulo – 6
(1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008)

4º Flamengo ** – 5
(1980, 1982, 1983, 1992 e 2009)

5º Corinthians – 4
(1990, 1998, 1999 e 2005)

5º Vasco – 4
(1974, 1989, 1997 e 2000)

7º Fluminense – 3
(1970, 1984 e 2010)

7º Internacional – 3
(1975, 1976 e 1979)

8º Bahia – 2
(1959 e 1988)

8º Botafogo – 2
(1968* e 1995)

8º Cruzeiro – 2
(1966 e 2003)

8º Grêmio – 2
(1981 e 1996)

13º Atlético-MG – 1
(1971)

13º Atlético-PR – 1
(2001)

13º Coritiba – 1
(1985)

13º Guarani – 1
(1978)

13º Sport ** – 1
(1987)

(*) em 67 e em 68, houve tanto a Taça Brasil quanto o ‘Robertão’
(**) – segundo a CBF. (AG)