Blatter preocupado com êxodo de jogadores

Blatter e LulaPresidente da FIFA está no Brasil para tratar da Copa 2014. A comissão da entidade internacional começa a série de visitas às 17 cidades alistadas sendo que 12 delas serão apontadas para abrigarem jogos da Copa do Mundo.

Blatter aproveitou para visitar autoridades, entre elas o presidente Lula e falar de futebol de um modo geral. O tema êxodo de jogadores esteve em pauta. Presidente da FIFA trata o assunto como escravidão moderna, nos moldes em que são feitas as transferências, envolvendo jovens jogadores, inclusive crianças.

O alerta do presidente Blatter é muito sério: “Se as Confederações e os Clubes não barrarem a transferência de jogadores ainda menores de idade para outros países, no futuro metade das seleções de futebol terão em seus elencos, brasileiros naturalizados.”

Medidas adotadas pela FIFA sinalizam na direção de conter este êxodo, proibindo que jogadores com menores de 18 anos possam atuar por partidas oficiais, caso tenham sido transferidos para outro país. As regras incluem ainda a possibilidades de os atletas poderem acabar com os contratos antes do tempo se tiveram jogado em menos de 10% das partidas de uma temporada.

O tema é de muita importância e quando tratado por autoridades como o alto mandatário da FIFA e um chefe de Governo é mesmo para suscitar uma reflexão muito forte entre os legisladores, para criarem um artifício que impeça ou atenue esta situação.

Joseph Blatter chegou a dizer que em 2014, por exemplo, metade das seleções de cada país pode ser formada por brasileiros. Teríamos ainda um novo mapeamento das forças mundiais, considerando que o poder econômico  seria determinante para elevar o nível técnico das equipes.

Não vou dizer que seria o fim dos Campeonatos Mundiais, mas que seriam muito menos interessantes não tenho a menor dúvida.

(Adamar Gomes)